Noticias Novo Portal Noticias Novo Portal

Retornar para página inteira

Notícia

Criminal
MPRJ deflagra operação de busca e apreensão em endereços ligados ao jogo do bicho na Baixada Fluminense
Publicado em 2018-12-06 10:20:51.637 - Atualizado em 2018-12-06 10:20:04.0

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio do Núcleo de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (NUCC-LD), realizam a Operação Mala Fortuna, nesta quinta-feira (06/12), para cumprir mandados de busca e apreensão em onze endereços ligados ao jogo do bicho na Baixada Fluminense.  

Entre os endereços, estão a quadra e o barracão da Escola de Samba Grande Rio, da qual o denunciado Antonio Jaider Soares da Silva é presidente de honra. De acordo com a denúncia, ele é o líder organização criminosa e detinha poder de mando sobre as movimentações financeiras realizadas pelo grupo a fim de dissimular a natureza ilícita dos valores decorrentes de suas atividades de exploração de jogos de azar.

Ao todo foram cinco os denunciados por organização criminosa e lavagem de dinheiro proveniente da exploração de jogos de azar. Também está sendo cumprido o bloqueio e sequestro de bens dos denunciados no valor de R$20 milhões.

Sobrinho de Antonio, o denunciado Leandro Jaider Soares da Silva realizava operações financeiras dissimulando valores para o grupo e utilizando-se das contas bancárias das diversas empresas envolvidas na prática criminosa. O denunciado Dagoberto Alves era o  responsável por essas operações financeiras.

Os denunciados Paulo Henrique Melo Rufino e Yuri Reis Soares, filho de Antonio Jaider, integravam a organização criminosa desempenhando função de “laranja”, ou seja, fornecendo a conta bancária da empresa Bazar Drxs de Duque de Caxias, da qual são sócios, para práticas de atos de dissimulação de valores.

“É do conhecimento de todos que os denunciados são contraventores atuantes na Baixada Fluminense. Ademais, os elementos informativos coligidos nos autos demonstram que os denunciados não possuem renda declarada compatível com as respectivas evoluções patrimoniais”, diz a denúncia acrescentando que as empresas são utilizadas com o objetivo de dar aparência lícita aos valores auferidos com a exploração de jogos de azar e jogos de bicho. 

gaeco
mprj
operação
lavagem de dinheiro
jogo do bicho
combate a corrupção
206 VISUALIZAÇÕES*
*Fonte: Google Analytics
(Dados coletados diariamente)
Compartilhar