Noticias Novo Portal Noticias Novo Portal

Retornar para página inteira

Notícia

Direitos Humanos
MPRJ promove encontro para debater a intolerância religiosa
Publicado em 10/09/2019 20:18 - Atualizado em 10/09/2019 20:18

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Assessoria de Direitos Humanos e Minorias (ADHM/MPRJ) e do Instituto de Educação e Pesquisa (IEP/MPRJ), promoveu nesta segunda-feira (09/09) o evento “Diálogo público: intolerância religiosa pela perspectiva da liberdade, dignidade e do crime organizado”. O evento discutiu atos de intolerância adotados contra praticantes das religiões de matrizes africanas, debatendo o respeito à liberdade de crença e culto e à dignidade humana com enfoque no combate ao crime organizado, uma vez que há indícios do envolvimento de grupos criminosos nos recentes ataques verificados no Estado do Rio.

O encontro contou com a presença dos procuradores de Justiça Ricardo Ribeiro Martins, subprocurador-geral de Justiça de Assuntos Criminais e Direitos Humanos; Denise Fabião Guasque, ouvidora do MPRJ; e Denise Tarin, além das promotoras de Justiça Eliane de Lima Pereira, coordenadora da ADHM/MPRJ, e Roberta Rosa Ribeiro, subcoordenadora da ADHM/MPRJ. Como convidados para discutir o tema, estiveram presentes representantes de diferentes religiões, da Polícia Civil, do Ministério Público Federal, da Defensoria Pública, da Ordem dos Advogados do Brasil, integrantes do meio acadêmico e da sociedade civil.

Para Ricardo Ribeiro Martins, os ataques de criminosos a terreiros e centros religiosos de matrizes africanas remetem a tempos sombrios. “Infelizmente, a motivação de nosso encontro não é celebrar a tolerância à fé do próximo, mas sim a necessidade de marcar uma posição firme contra a intolerância. Temos observado um fundamentalismo nestes ataques, muitas vezes por questões de cunho racial, mas não podemos permitir que a nossa sociedade ande para trás”, destacou o procurador de Justiça.

Uma das apresentadoras do encontro ao lado de Eliane de Lima Pereira, Denise Tarin lembrou que o tema precisa ser encarado por todos os setores da sociedade. “Precisamos que a sociedade compreenda o momento que estamos vivendo, de falta de compreensão e de respeito com o pensamento do próximo. A liberdade é essencial em todos os seus níveis e nós, do MPRJ, precisamos fiscalizar o desrespeito a esse princípio constitucional fundamental”, declarou.

Eliane de Lima Pereira ressaltou o papel do MPRJ como órgão vocacionado para a defesa dos direitos e garantias constitucionais dos cidadãos. “Hoje, temos representantes de diferentes órgãos e da sociedade civil, em um mesmo espaço, para encontrarmos caminhos através do diálogo. O fenômeno da destruição de templos religiosos por grupos criminosos, além de violar a laicidade do Estado, faz com que precisemos de novos elementos para combater a intolerância religiosa”, afirmou a coordenadora da ADHM/MPRJ.

intolerância religiosa
assessoria de direitos humanos e de minorias
156 VISUALIZAÇÕES*
*Fonte: Google Analytics
(Dados coletados diariamente)
Compartilhar