Procuradores-Gerais do extinto Estado da Guanabara (1960-1975) - Listagem de Procuradores-Gerais - Procuradores-Gerais em Destaque - Centro de Memória - Conheça o MPRJ

1º - Candido de Oliveira Neto (1960)
Foto de Candido de Oliveira Neto

 

Criado o Estado da Guanabara em 14/04/1960, a estrutura organizacional e o território físico do município neutro do Rio de janeiro foram mantidos, mas com novo status federativo. A Procuradoria-Geral do Distrito Federal teve o nome alterado para Procuradoria-Geral da Justiça do Estado da Guanabara. Candido de Oliveira Neto permaneceu no cargo à frente do órgão, exonerando-se quando nomeado procurador-geral da República. Foi também ministro da Justiça (1964).
2º - Carlos Sussekind de Mendonça (1960-1962)
Foto de Carlos Sussekind de Mendonça

 

Natural da cidade do Rio de Janeiro graduou-se em Ciências Jurídicas e Sociais em 1920 na capital, ingressando na Procuradoria-Geral do Distrito Federal em 1931 como promotor adjunto. Na faculdade e ao longo da carreira contribuiu para diferentes jornais, notabilizando-se como jornalista, ensaísta e escritor, além de jurista com várias obras publicadas. Foi cofundador da Sociedade Brasileira de Criminologia e membro da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) dentre outras instituições.
3º - João Baptista Cordeiro Guerra (1962-1965)
Foto de João Baptista Cordeiro Guerra

 

Nasceu no município do Rio de Janeiro. Formou-se pela Faculdade Nacional de Direto da Universidade do Brasil em 1937. A carreira no Ministério Público foi iniciada como promotor substituto em 1940, da qual se exonerou quando nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal em 1974. Jurista, possui ampla produção em Direito Penal.
4º - Arnoldo Wald (1966-1967)
Foto de Arnoldo Wald

 

Nasceu em 1932. De naturalidade belga, optou pela nacionalidade brasileira. Sua formação ocorreu no antigo Distrito Federal, graduando-se pela Faculdade Nacional de Direito em 1953. Fez carreira como procurador do Estado, dedicando-se também ao magistério e à advocacia. Foi pioneiro na prática da Arbitragem como resolução de conflitos e consolidou-se um dos principais civilistas do Direito Brasileiro, com reconhecimento internacional. Em sua gestão em 1966, o Ministério Público fluminense adquiriu a primeira sede própria: 2º e 3º andares na Av. Nilo Peçanha nº 12, Centro.
5º - Leopoldo Braga (1967-1971)
Foto de Leopoldo Braga

 

Nascido em Salvador (BA) formou-se pela Faculdade de Direito da Bahia em 1926, ingressando no Ministério Público baiano no mesmo ano. Em 1945 fixou residência no Rio de Janeiro, sendo nomeado no mesmo ano procurador da Prefeitura do Distrito Federal (atual Procuradoria-Geral do Estado). Foi também jurista, poeta, literato e professor. Produziu vasta obra em Direito Público Internacional, Direito Administrativo e Tributário.
6º - Clóvis Paulo da Rocha (1971-1972)
Foto de Clóvis Paulo da Rocha

 

Natural da cidade do Rio de Janeiro graduou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade do Rio de Janeiro em 1931. O início na carreira ocorreu no Ministério Público do antigo Estado do Rio de Janeiro em 1934 como promotor substituto. Com a fusão dos órgãos ministeriais (1975) foi novamente investido no cargo de procurador-geral em 1979, permanecendo na função até 1980.
7º - Paulo Chermont de Araújo (1972-1973)
Foto de Paulo Chermont de Araújo

 

Nasceu em Belém (PA) e bacharelou-se pela Faculdade Nacional de Direito em 1939. Ingressou na Procuradoria-Geral do Distrito Federal em 1940 no cargo de promotor substituto. Além do exercício da advocacia, toda sua trajetória profissional foi realizada na instituição, ocupando vários cargos até a aposentadoria em 1988.
8º - Hermano Odilon dos Anjos (1973-1975)
Foto de Hermano Odilon dos Anjos

 

Nascido no município do Rio de Janeiro graduou-se pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro em 1935, atual UERJ. Foi o último procurador-geral do Estado da Guanabara, retornando à chefia institucional no período pós-fusão, na configuração do atual Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (no período de março a novembro de 1979).